Procurando algo?

sábado, 30 de outubro de 2010

Afinações

Salve !

Desde que aprendi (e ainda continuo aprendendo) a tocar violão, acordes, tons e afinações sempre foram alvo do meu interesse musical. Como baterista, isto sempre me ajudou muito a me situar em músicas de acordes repetidos, além de facilitar e auxilar na compreensão do que o músico ao meu lado estava fazendo. 

Naquele "Workshop impublicável", coincidentemente o Douglas, da banda Calçada Alves, comentou sobre a diferente afinação que Keith Richards usou em "Brown Sugar". Rapidamente ele reafinou as cordas de sua guitarra e me mostrou como Richards toca essa música. Foi a fagulha para escrever este post. 

Pedi pra ele fazer um vídeo mostrando. A diferença de tentar tocar com a afinação padrão é gritante. Vejam aí como é que é:


Uns dos primeiros casos que me chamou a atenção foi John Fogerty, do Creedence. Em algumas músicas, ele usa uma guitarra afinada um tom abaixo. Segue abaixo Proud Mary: notem que o desenho do acorde que ele faz é E, mas o tom da música e, o que os outros músicos tocam, é D. 


Outros exemplos do Creedence, que Fogerty usa deste recurso: Bad Moon Rising, Fortunate Son (http://www.youtube.com/watch?v=Z-5XgI244xo), I heard it through the grapevine, Midnight Special. Isto confere à música um timbre mais grave, deixando-a com mais peso e até facilitando nas "firulas" que as músicas têm.

Outro exemplo clássico é Jimmy Page. Ele fez uso de diversas afinações durante o Led Zeppelin. Na minha opinião o melhor exemplo é Kashmir, principalmente porque a musicalidade desta canção é ímpar. Neste caso, Page altera somente algumas cordas, da seguinte forma: DAGDAD. Este modal chama-se "Open Dsus4 (D#).


Conforme pesquisei, Jimmy Page ainda usou muitas outras afinações, entre elas: DADGBE, afinando apenas a 6ª corda para um D, usada em “Moby Dick” e “Ten Years Gone”;  DGCGCD (versão estúdio) EADADE  (versão ao vivo) para "Rain Song".

Pra fechar, outro cara que sempre me intrigou foi Barry Gibb, dos Bee Gees. Quis tirar algumas músicas deles, assistindo os vídeos, mas me era impossível entender que acordes aquela cara estava fazendo. Os desenhos não fechavam com nada do que eu conhecia. O Douglas me deu letra: Gibb usa a afinação chamada "Open D", também conhecida como Afinação Havaiana. É uma afinação aberta de guitarra onde se ouve um Ré maior ao se tocar as cordas soltas. Ela é ser representada, da corda mais grave para a mais aguda, como D A D F# A D. Segue vídeo para visualização:


Os exemplos seriam infinitos, como no caso do blues, nas "slide guitars" e por aí afora. A intenção foi jogar a idéia de onde a criatividade musical pode chegar e se modificar e  mostrar alguns exemplos disso. 

O mesmismo é somente para aqueles que não vontade de dar um passo adiante.

Meu especial obrigado ao Douglas, que contribuiu de sobremaneira para este post.

É isso aí... a idéia é essa !

Alfredo
Os Impublicáveis

2 comentários:

Douglas R. L. disse...

Gostei muito da matéria Alfredo. fico feliz em poder ajudar.
Quando precisar é só dar um toque.
To curioso pra ver a matéria sobre a corrida pela técnica...
Pode crer

Anônimo disse...

show de bola